Saúde começa vacinar grupos prioritários contra vírus da gripe


A Prefeitura de Ourinhos, por meio da Secretaria Municipal de Saúde em parceria a Secretaria de Saúde do Estado de São Paulo, começou quarta-feira (10) a vacinação dos grupos prioritários contra o vírus da gripe. As doses serão aplicadas em qualquer uma das 17 unidades de saúde do municipal, das 8h às 17h. A mobilização vai até dia 31 de maio.

De acordo com a chefe em vigilância em Saúde, Célia Exposto, nesta primeira etapa, estão inclusos nos grupos prioritários as crianças com menos de seis anos, gestantes e mulheres que tiveram bebê até 45 dias.

Após o dia 22 de abril, também serão inclusos os idosos com mais de 60 anos, professores, profissionais da saúde, adolescentes e jovens de 12 a 21 anos com medidas protetivas, pessoas com privação de liberdade, com doenças crônicas, não transmissíveis e patologias clínicas.

O objetivo, segundo Célia, é reduzir as internações, a mortalidade decorrente das infecções, principalmente nos grupos prioritários. “A vacina da gripe contém três cepas virais, que é H1N1, H3N2 e a Influenza B, então é uma imunização trivalente, que não se trata do vírus vivo, e por isso não há como causar nenhum sintoma da doença.”

Célia lembra que no dia 04 de maio, será realizado o Dia D, quando a campanha será intensificada com aplicação de dose em um sábado. “Será o dia que quem não pode comparecer nos postos para tomar a dose durante o mês de abril poderá receber sua imunização, inclusive em casos de pessoas acamadas, que poderão fazer contato com a unidade e deixar nome e endereço para que esta visita seja agendada. Estamos todos apostos e prontos para combater este vírus.”

Segundo Célia, a campanha se concentra neste período do ano porque a queda das temperaturas no outono e no inverno tende a aumentar as aglomerações de pessoas em lugares fechados e sem ventilação. “São maiores também os riscos de se pegar a doença, pois a contaminação ocorre principalmente por meio do contato com outras pessoas doentes. A gripe diminui a imunidade da pessoa gripada e pode levar a infecções virais ou bacterianas. Em casos extremos, pode levar à morte.”