Presídios da Região Noroeste são premiados em Fórum Estadual de Tuberculose


Unidades prisionais se destacaram ao atingir meta na busca ativa de casos da doença em reeducandos

Marcus Liborio – SAP/CRN

Presídios que compõem a Coordenadoria da Região Noroeste (CRN) foram premiados no Fórum Estadual de Tuberculose, realizado no mês passado, ao se destacarem em campanha realizada entre outubro e novembro de 2018. Ao todo, dez unidades (veja lista abaixo) faturaram o prêmio após atingirem meta no controle da doença. Para alcançar o objetivo, era necessário que o número de exames na categoria “Busca Ativa de Casos” fosse igual ou superior a 15% da população prisional de cada unidade. 

O evento foi realizado em São Paulo (Teatro Rebouças), no dia 18 de março, em celebração ao Dia Mundial de Combate à Tuberculose (comemorado em 24 de março). Durante a cerimônia, o Certificado de Qualidade na Busca Ativa foi entregue a municípios, laboratórios, grupos de Vigilância Epidemiológica (GVEs) e unidades prisionais que alcançaram o percentual de ocorrências investigadas no período.

“As equipes de saúde das unidades da Região Noroeste desenvolvem um excelente trabalho com todos os tipos de doenças. Com essa premiação, entendemos que as ações estão sendo desempenhadas de forma correta. Vale destacar que as unidades que não foram premiadas não é porque não fizeram um trabalho adequado. Ocorre que, muitas vezes, dependemos das cotas de exames laboratoriais que são dispensadas pelas redes municipais”, explica a diretora do Centro Regional de Saúde da CRN, Aparecida Kalinsqui.

CAMPANHAS

A Coordenadoria de Saúde do Sistema Penitenciário (CSSP), em parceria com a Secretaria Estadual de Saúde (SES) e o Centro de Vigilância Epidemiológica (CVE) promove duas campanhas de combate e prevenção à tuberculose por ano: uma no período de fevereiro a março e outra de outubro a novembro.

Ao final de cada ação, são elencados os premiados que atenderam aos critérios exigidos, que podem variar de uma campanha para outra – além da “Busca Ativa de Casos”, geralmente são avaliadas também as modalidades “Alta Cura” e “Tratamento Diretamente Observado” (TDO).

No Estado de São Paulo, em 2017, foram 18.358 casos novos, com cura de 80% e abandono de 11% na população geral. No mesmo ano, no Sistema Prisional, foram 2.896 casos novos , com cura de 91% e abandono de 6%.

O QUE É?

A tuberculose é uma doença infectocontagiosa que afeta principalmente os pulmões. É transmitida pelo ar, por meio de contato próximo com pessoas infectadas - atinge indivíduos com baixa imunidade.

Os sintomas podem evoluir de forma lenta. Os indícios são tosse seca contínua, produção de catarro, febre moderada, sudorese noturna, cansaço excessivo, perda de apetite e emagrecimento acentuado.

ALERTA

A Organização Mundial da Saúde (OMS) alerta que a tuberculose mata, diariamente, quase 4.500 pessoas em todo o planeta e permanece com o status de doença infecciosa mais mortal do mundo. Os números mostram ainda que 30 mil pessoas são acometidas pela enfermidade todos os dias.

Ainda de acordo com a OMS, esforços globais para combater a doença salvaram 54 milhões de vidas desde o ano 2000 e reduziram a mortalidade em 42%.

Unidades da CRN que receberam o prêmio 

Penitenciária “Valentim Alves da Silva” de Álvaro de Carvalho
Penitenciária I “Rodrigo dos Santos Freitas” de Balbinos
Penitenciária de Bernardino de Campos
Centro de Detenção Provisória (CDP) de Cerqueira César
Centro de Detenção Provisória (CDP) de Itatinga
Penitenciária de Marília
Centro de Ressocialização (CR) de Ourinhos
Centro de Detenção Provisória (CDP) de Pontal
Penitenciária I “Tenente PM José Alfredo Cintra Borin” de Reginópolis
Penitenciária Feminina de Ribeirão Preto