AME recebe apoiadora do Núcleo Técnico de Humanização da Secretaria de Saúde Estadual


Nesta semana, os membros das Comissões de Humanização dos Ambulatórios Médico de Especialidades (AMEs) Assis e Ourinhos receberam a apoiadora Cleusa Abreu, do Núcleo Técnico de Humanização da Secretaria de Estado da Saúde (SES).

Na quarta-feira, dia 10, reuniram-se no AME Ourinhos para um encontro regional os  membros das Comissões de Humanização dos Ambulatórios de Assis, Ourinhos e Tupã, onde foram compartilhadas e debatidas experiências e projetos de matriciamento e apoio matricial que serão desenvolvidos este ano.

Já nesta sexta-feira, 12, a apoiadora Cleusa realizou uma visita no AME Assis, onde conversou com a Comissão de Humanização para conhecer mais sobre as ações de matriciamento que estão sendo realizadas junto dos Municípios Referenciados e falar também do evento que deverá ocorrer no mês de julho em São Paulo, organizado pelo Núcleo de Humanização, no qual deverão participar as Comissões dos AMEs de Assis, Ourinhos, Bauru, Presidente Prudente e de algumas regiões metropolitanas de São Paulo.

Durante o Encontro Cleusa destacou a satisfação de ver os projetos desenvolvidos pelo AME de Assis e Ourinhos em apoio a rede regional de saúde, nos Municípios, envolvendo a atenção básica e a atenção terceária.

A gerente do AME Andreia Camargo Souza, agradeceu a visita e todo suporte prestado pela apoiadora Cleusa aos AMEs, visando a melhoria dos processos e principalmente, serviços de saúde mais humanizados aos pacientes.

O Núcleo Técnico de Humanização da SES é uma instância da Secretaria de Estado da Saúde vinculada diretamente ao Gabinete do Secretário de Estado da Saúde, responsável pela coordenação do desenho e implementação da Política Estadual de Humanização, garantindo alinhamento às diretrizes de gestão da SES, disseminação do conceito de humanização nas diversas áreas da SES, nas unidades estaduais de saúde (hospitais e AMES), nos DRS e municípios. É também responsável pelo acompanhamento de ações e resultados, bem como pela inserção da humanização no desenho do processo de Regionalização da saúde no Estado de São Paulo e a inclusão das diretrizes e programas da PEH no Plano Estadual de Saúde.