Sindicato pede ao prefeito Lucas Pocay a regulamentação de Food Trucks



O prefeito Lucas Pocay recebeu quarta-feira (18), em seu Gabinete, representantes do Sindicato de Hotéis, Restaurantes, Bares e Similares de Ourinhos, que solicitam a regulamentação do trabalho dos Food Trucks na cidade.
 

Os comerciantes do ramo alimentício pedem que os “trailers” de lanches sejam submetidos às mesmas regras tributárias e sanitárias para atender o público.
“Não somos contra o trabalho deles, mas queremos que eles também recolham impostos e sejam fiscalizados. Muitos chegam, estacionam nos melhores pontos da cidade e não pagam nada. Os comerciantes legalmente constituídos pagam impostos, tem funcionários e uma série de despesas extras. Isso gera concorrência desleal. Queremos que os Food Trucks também trabalhem legalizados", declara o presidente do Sindicato Eizo Iwano.
 

Em documento entregue ao prefeito Lucas Pocay, o Sindicato relata que muitos Food Trucks não possuem alvará de funcionamento, nem laudo da Vigilância Sanitária. “A população corre o risco de consumir alimentos preparados sem a devida higienização, pois os ‘trailers’ não possuem ponto de água e banheiro local para a utilização da população e para os próprios comerciantes que manipulam os alimentos”, relata trecho do documento.
 

O prefeito Lucas Pocay já agendou, para o final do mês de janeiro, uma reunião com os proprietários de Trailers e Food Trucks para determinar qual a melhor medida a ser tomada para regulamentação do setor.






O prefeito Lucas Pocay recebeu quarta-feira (18), em seu Gabinete, representantes do Sindicato de Hotéis, Restaurantes, Bares e Similares de Ourinhos, que solicitam a regulamentação do trabalho dos Food Trucks na cidade.
 

Os comerciantes do ramo alimentício pedem que os “trailers” de lanches sejam submetidos às mesmas regras tributárias e sanitárias para atender o público.
“Não somos contra o trabalho deles, mas queremos que eles também recolham impostos e sejam fiscalizados. Muitos chegam, estacionam nos melhores pontos da cidade e não pagam nada. Os comerciantes legalmente constituídos pagam impostos, tem funcionários e uma série de despesas extras. Isso gera concorrência desleal. Queremos que os Food Trucks também trabalhem legalizados", declara o presidente do Sindicato Eizo Iwano.
 

Em documento entregue ao prefeito Lucas Pocay, o Sindicato relata que muitos Food Trucks não possuem alvará de funcionamento, nem laudo da Vigilância Sanitária. “A população corre o risco de consumir alimentos preparados sem a devida higienização, pois os ‘trailers’ não possuem ponto de água e banheiro local para a utilização da população e para os próprios comerciantes que manipulam os alimentos”, relata trecho do documento.
 

O prefeito Lucas Pocay já agendou, para o final do mês de janeiro, uma reunião com os proprietários de Trailers e Food Trucks para determinar qual a melhor medida a ser tomada para regulamentação do setor.