Saúde fará compra emergencial de medicamentos

Medicamentos estão em falta

A administração anterior entregou a Secretaria da Saúde com o estoque zerado de mais de 100 medicamentos


O prefeito Lucas Pocay autorizou nesta segunda-feira (09) um pregão emergencial para a compra de medicamentos que estão em falta nos postos de saúde. Devido aos prazos legais das licitações demorarem em torno de seis meses, a medida foi tomada com o objetivo de sanar o déficit por pelo menos três meses.
 

Segundo a secretária de Saúde, Cássia Cristina Borges Palhas, a medida visa solucionar o grave problema que foi deixado pela administração anterior que deixou zerar o estoque de mais de 100 medicamentos.
 

"Hoje nós estamos com 100 medicamentos zerados nas prateleiras. Até o final do mês serão mais 170 itens indisponíveis para a população. Fizemos então a lista de medicamentos e será feito um pregão emergencial para adquirirmos uma quantidade suficiente pelo menos para os primeiros três meses”, explica.
 

Cássia acredita que no máximo em 30 dias os medicamentos de baixa a alta complexidade já estejam disponíveis para a população. “A preocupação do prefeito Lucas Pocay é com o paciente que sofreu este tempo todo sem acesso a esses medicamentos, muitos são de uso contínuo e muitos não tem condição de comprar”, lamenta.