Ourinhos briga com Assis pelo credenciamento SUS para tratamento do Câncer


A diretoria da Santa Casa, mantenedora do Hospital do Câncer de Ourinhos, reuniu prefeitos, vereadores e deputados na última sexta-feira para alertá-los sobre o trabalho político que Assis e região estão fazendo para que o credenciamento SUS (Sistema Único de Saúde) não venha para Ourinhos. O presidente da Santa Casa e do Hospital do Câncer de Ourinhos, Celso Zanuto, chamou a atenção de prefeitos e vereadores, entre atuais e eleitos, para que apoiem o trabalho que já vem sendo feito pelo deputado federal Capitão Augusto, que também conta com o apoio do deputado estadual Ricardo Madalena, ambos do PR.

Segundo Zanuto, agora que Ourinhos está praticamente concretizando essa conquista, que garantirá atendimento em quimioterapia, radioterapia e cirurgias oncológicas para pacientes do SUS, os políticos assisenses estão tentando que o Governo do Estado não concorde com o relatório do Ministério da Saúde que atestou a competência do Hospital do Câncer de Ourinhos, assim como a incompetência do Hospital Regional de Assis na prestação desse tipo de serviço médico, tanto em qualidade quanto em quantidade. Isso porque, para credenciar o serviço oncológico em Ourinhos, o Ministério da Saúde terá que descredenciar o de Assis.


Zanuto avisou que a batalha está sendo muito árdua. “Esses últimos dias, o empenho e a dedicação do deputado Capitão Augusto foi uma coisa impressionante, porque ele abriu mão de toda uma outra região (Assis), da qual ele também faz parte por ser deputado federal, para apoiar a nossa região. Como ele mesmo disse, já valeu a pena ele ter sido deputado para ter essa conquista do tratamento do câncer em Ourinhos”, disse Celso Zanuto.


CONTRAMÃO – Enquanto isso, o deputado federal Walter Ihoshi (PSD), que já teve muitos votos no passado nesta região, encampou a defesa da permanência do credenciamento SUS para o Hospital Regional de Assis. O que os políticos da região de Ourinhos e da diretoria do Hospital do Câncer local defendem é o credenciamento técnico, já que instalações e equipamentos de Ourinhos são superiores aos de Assis. E da mesma forma que os pacientes de Ourinhos e região sempre tiveram que se dirigir a outras cidades para ter o tratamento do câncer, como Jaú e Marília, o mesmo pode acontecer com os pacientes da região de Assis, já que essa cidade nem é procurada pelos pacientes e suas famílias devido ao não reconhecimento de sua qualidade na prestação desse serviço de saúde. “Com o tempo, os próprios usuários do Hospital de Assis vão reconhecer a melhora na qualidade dos atendimentos feitos aqui em Ourinhos”, afirmou Capitão Augusto.


O Hospital do Câncer de Ourinhos está em atividade há 6 anos. Até agora, por não ter o credenciamento SUS, atende somente a pacientes particulares e de convênios, tanto em quimioterapia quanto em radioterapia, serviço iniciado em agosto. 


O aparelho de radioterapia comprado pelo Hospital do Câncer de Ourinhos é de última geração. Poucos hospitais no Brasil possuem equipamento tão moderno, segundo o diretor do HC, o médico radio-oncologista, Norberto de Souza Paes. De acordo com informações, nem mesmo o renomado Hospital Amaral Carvalho, em Jaú, possui essa modernidade, e Sorocaba, outra importante referência no tratamento do câncer, está sem o seu aparelho.


“Quando foi importamos nosso aparelho de radioterapia, ficou retido na alfândega por 4 meses e sua liberação também se deu graças a intervenção do deputado federal Capitão Augusto”, conta o diretor Norberto Paes.


Esta semana, mais desdobramentos dessa disputa devem vir à tona e o JPovo vai acompanhar de perto.