3ª Vernissage apresentou nesta quinta (20) trabalhos dos alunos do projeto Vila de Cultura

Exposição aconteceu na Casa dos Ingleses

Aconteceu nesta quinta-feira, 20 de outubro, a 3ª Vernissage de telas do curso de pintura dos alunos do Projeto Vila de Cultura. Crianças e adolescentes de 7 a 18 anos apresentaram seus trabalhos. Cerca de 50 quadros estão expostos na Casa dos Ingleses. O secretário de Cultura Fernando Cavezale, a coordenadora Joelma Archangelo e a professora de artes Riselda Luz estiveram presentes no momento especial para os participantes do projeto e suas famílias.

"Hoje a noite é deles. Aqui estão as primeiras telas que ficaram prontas para a exposição. Nós teremos o encerramento do projeto em dezembro no Teatro Municipal. Lá serão apresentadas também as outras modalidades do projeto Vila de Cultura", informou a coordenadora Joelma.

Os trabalhos encantam e impressionam pela qualidade. "Já são três anos do Vila de Cultura. Cada ano escolhemos um tema, pois para se fazer uma vernissage fica bonito ter apenas um, este ano o escolhido foi Água e África"

"Este projeto é muito bom. Minha filha Ana Luiza está há um ano participando do projeto no CRAS da Vila São Luiz. Hoje aqui ela apresentou dois quadros e um deles já foi até vendido", declarou orgulhosa a senhora Maiara.

O Vila de Cultura acontece nos quatro cantos da cidade. (CEU - Centro de Artes e Esportes Unificados - Recanto dos Pássaros, CRAS I - Centro de Referência de Assistência Social - Vila São Luiz, Núcleo de apoio ao CRAS IV - Jardim São Carlos e no Salão Paroquial da Paróquia "São Francisco de Assis" no Jardim Itamaraty). "Começamos o projeto Vila de Cultura em 2013. O grande desafio para mim era diante de tantas coisas boas que aconteciam na cultura de nossa cidade eu perceber que nos bairros mais distantes as crianças ainda tinham o acesso difícil às artes por estarem longe do Teatro, do Centro Cultural e da Biblioteca por exemplo. Então "brincamos" que o Vila de Cultura veio para levar a "montanha a Maomé". Desta forma, criamos uma estrutura, mesmo sem recursos, para levar professores e arte educadores para os bairros", destacou Cavezale.