Ruas cheias, lojas vazias. Sem criatividade, comércio ourinhense deverá amargar outro ano de fracasso

A limpeza do calçadão que deveria ser feita pelos comerciantes beneficiados com a obra ainda é feita pela SAE.

Há alguns anos estamos noticiando seguidos exemplos de estagnação do comércio ourinhense, onde nada se cria, tudo se copia. E ainda por cima, mal. São lojas pouco confortáveis para a circulação dos clientes, fachadas poluídas, vendedores destreinados e preços altos.

Juntam-se a isso, as promoções ruins. A última aconteceu recentemente. A "Black Friday" ourinhense prometia preços baixos, mas deixou muito a desejar, decepcionando os consumidores.

Outro exemplo de pouco caso com o cliente por parte dos comerciantes é que Já faz tempo que o consumidor que decide prestigiar o comércio local, não encontra vaga para estacionar seu veículo. Não que seja obrigação, mas poderiam os comerciantes se unirem e disponibilizarem estacionamento gratuito para seus consumidores, mas nem isso fazem.

Para quem olha de fora, vendo a movimentação de carros e pessoas, tem impressão de que a região central vai bem em tudo. Mas é pura ilusão, o movimento fica restrito a parte de fora das lojas. A Prefeitura faz sua parte deixando o centro limpo e bonito, mas os comerciantes continuam na "idade da pedra", realizando suas promoções pobres em novidades.