Inauguração do CEU aconteceu neste domingo (13), aniversário de Ourinhos teve muitas novidades


Com diversas apresentações como um conjunto de flautas, dança do ventre e um grupo de Hip Hop, o CEU – Centro de Artes e Esportes Unificado, instalado no bairro Recanto dos Pássaros, foi formalmente inaugurado pela prefeita Belkis Fernandes na manhã deste domingo (13) quando Ourinhos completa os 97 anos.

O conjunto CEU recebeu o nome do professor “Dinho”, como carinhosamente era tratado o professor de Educação Física e ourinhense Alfredo Deviene Júnior, que recebeu as homenagens representado por sua viúva que discursou mostrando quem foi Dinho na sociedade ourinhense.

A prefeita Belkis Fernandes também discursou nas homenagens e pelo aniversário da cidade, mas o que contempla o CEU de interessante é valorização do intercâmbio realizado entre as diferentes expressões artísticas em mistura de lazer, assistência e trabalho, como já dito em matéria anterior e aqui se repete, o espaço contemplará programas e ações culturais, práticas esportivas e de lazer, formação e qualificação para o mercado de trabalho, serviços sócio-assistenciais, políticas de prevenção à violência, entre outros.

Com uma área de 3.000 m², o CEU foi construído na Rua Álvaro Doriguello, no bairro Recanto dos Pássaros, com investimento total de R$ 2.215.000,00, sendo R$ 2 milhões do Governo Federal e R$ 215 mil do município. Este Centro conta com diversas ações, possui uma excelente estrutura, com biblioteca, salas multiuso, telecentro, cineteatro/auditório com 60 lugares, quadra poliesportiva coberta, pista de skate, jogos de mesa, espaço criança, equipamento de ginástica, playground, kit básico esportivo e pista de caminhada.

Na presença dos secretários municipais Diógenes, do Meio Ambiente, André Mello, da Saúde, Fernando, da Cultura, Cidinha, do Social e do chefe de gabinete, José Luís Quenca, de representantes de entidades, moradores e convidados, a inauguração pautou também por mostrar a todos a prestação de contas da prefeita Belkis Fernandes, prestada aos moradores do bairro Recanto dos Pássaros e adjacências que se locupletarão das inúmeras atividades de lazer, esportes, cultura, formações profissionais e demais programas com que está o CEU habilitado a fornecer e que engrossa a relação de grandes obras do atual governo.

A prefeita Belkis Fernandes prestou contas, em um telão, de suas atividades enquanto gestora destes 3 anos e o que poderá ser realizado ainda no quarto ano, lembrando que além de poder realizar o recapeamento do restante das ruas já demarcadas e anunciadas, a aprovação do Projeto Ambiental do Entorno Ferroviário, esperado por todos, é uma meta difícil de ser cumprida, mas que em março de 2016 poderá se tornar realidade se depender dos esforços que vem empreendendo.

O CEU é um belo presente que Ourinhos ganha em seu aniversário, mas a prestação de contas e a surpresa da realidade do governo atual, que inovou em diversos aspectos conseguindo administrar a cidade e construir obras necessárias fantásticas, abandonadas há décadas por vários gestores e que somente agora com o mínimo sobrado da arrecadação municipal, a prefeita tornou realidade, sem qualquer financiamento que onerasse os cofres e os cidadãos ourinhenses, batalhando incansavelmente em busca de verbas estaduais e federais, com profissionalismo e a necessária seriedade sem deixar de cumprir os compromissos financeiros das gestões anteriores.

Mostrou ser, em apenas 3 anos de gestão, um governo empreendedor, ainda que em dias difíceis de serem suportados diante da realidade nacional, findando este terceiro ano com as contas em dia depois de todos os problemas enfrentados, com uma nota excelente no quesito Transparência, de elevados 8,3, muito superior a média, enquanto a Câmara Municipal nem apareceu na contagem de tanta falta de transparência no Legislativo, reflexo da incompetência dos atuais vereadores, evidentemente.

Dezenas e dezenas de grandes obras que aguardavam a sensibilidade de um administrador foram realizadas com inteligência, pouco dinheiro dos cofres públicos, solucionando problemas e bloqueando grandes prejuízos que a população somava ano após ano, muito além das possibilidades, do existente em caixa, buscando sempre o melhor para Ourinhos sem se preocupar com os votos, com as eleições, pois é sabido que obras enterradas de infra-estrutura não aparecem, não acrescentam votos, mas causam satisfação de dever cumprido ao administrador sério, que gosta de sua cidade.

Jornal Tablóide