Oficina de bonecas, uma ideia que deu certo em Ourinhos

Share:


A Primeira Dama de Ourinhos e Presidente do Fundo Social de Solidariedade, Clara Pocay, visitou na tarde de terça-feira (02) a oficina de bonecas que está sendo desenvolvida  pelo grupo da terceira idade no Núcleo do CRAS III no Jardim Itamaraty.  O trabalho faz parte da Campanha Brinquedo Solidário que tem como objetivo arrecadar brinquedos usados e em bom estado para presentear crianças carentes do município. Segundo Clara o resultado da campanha tem sido surpreendente. “Está sendo muito lindo assistir como a comunidade se mobilizou para atender a uma demanda social. Cada um fazendo a sua parte, limpando bonecas, arrumando o cabelo delas, lavando, confeccionando as roupinhas e fazendo até a produção da embalagem final, já que o intuito é presentear as crianças que não tem condições de comprar um brinquedo”.

Clara conta que a ideia surgiu entre os membros do Fundo Social de Solidariedade e da Assistência Social no ano passado após a realização da Campanha do Agasalho. “Achamos que seria válido lançar uma campanha que fosse voltada especificamente para as crianças. E essa oportunidade de transformar um brinquedo usado em novo está sendo incrível, pois tivemos a participação de toda a sociedade, empresários, entre eles, Rodonaves, Cebrac, Loja São Francisco, Kiplástico, Delegacia Seccional, Coeprev, entre outros”.

A campanha estava prevista para ser realizada apenas no mês de agosto, mas o resultado foi tão positivo, que os pontos de coleta e doação ainda estão abertos. A intenção é que as doações sejam recebidas até o final do mês de outubro.  “Já temos em torno de cinco mil brinquedos e as doações não param.”


Uma das mulheres envolvidas na oficina de bonecas, Joseneide Souza da Silva, conta que a demanda tem sido tão grande que o grupo dividiu o trabalho para ser feito em dois dias da semana para garantir que seja finalizado a tempo da entrega. O trabalho, para ela, tem sido prazeroso. “Estamos deixamos elas bem limpinhas, lavamos, secamos, confeccionamos as roupinhas, penteamos o cabelo e embalamos uma a uma. Cada um tem ajudado como pode e tem sido muito prazeroso dividir esse momento de solidariedade com essas mulheres”.