52ª FAPI recebe exposição indígena da Aldeia Tekoa Karugwá

A 52ª Fapi (Feira Agropecuária e Industrial) oferece ao público um projeto inovador da Prefeitura de Ourinhos. A exposição de artesanato e cultura indígena da Aldeia Tekoa Karugwá. A atração atrás do pavilhão de estandes, ao lado esquerda da entrada do parque. Dez índios, vindos de Barão de Antonina, Bauru e da Bahia, apresentam aos visitantes diversos trabalhos como o arco e flecha, apitos, zarabatanas, colares, pulseiras, brincos, tiaras, entre outras peças típicas.

Segundo o servidor público Sérgio Bradock, idealizador do projeto, a vinda dos índios para a Feira é inédita. "Tenho este projeto há quatro anos, porém não havia conseguido tirar do papel até então. Em uma conversa com o Prefeito Lucas Pocay ele se interessou por trazer a aldeia para Ourinhos e fizemos um experimento na Feira do Artesanato que foi um sucesso. Dessa forma, decidimos trazê-los de volta desta vez para a FAPI levando conhecimento e um pouco mais da cultura indígena para milhares de pessoas", conta.

O cacique Valdeir diz que a recepção ourinhense tem sido surpreendente. "Em poucos dias mais de 50 mil pessoas passaram pela nossa exposição para conhecer nossa cultura, tirar dúvidas e comprar nossos artesanatos. Ficamos surpresos com tamanha recepção e curiosidade por nossa cultura. Ficamos felizes pela recepção e só podemos agradecer ao Prefeito Lucas e ao Sérgio Bradock por esta oportunidade", diz.

Valdeir lembra que a exposição irá continuar após a Fapi para que os alunos da rede municipal de ensino possam visitar a aldeia. "A intenção do Sérgio é que a gente fique 40 dias para receber os alunos. Em seguida, teremos um tempo para descansar em nossa aldeia e depois voltamos novamente para mais uma jornada de visitação. Queremos trazer um professor de Tupi Guarani também que é a língua falada em nossa aldeia. Nosso principal objetivo é colocar em destaque o nosso povo que acabou ficando esquecido. Queremos trazer esta história para o presente e trazer conhecimento para a população, que é o mais importante", declara.