PROJETO ESCOLINHAS DE FUTEBOL: Técnica e disciplina para os alunos

Share:

Os professores do Núcleo de Futebol do Jardim das Paineiras utilizam a técnica e a disciplina como suas ferramentas de trabalho para desenvolver as habilidades esportivas e sociais de seus alunos. Ao todo, 50 garotos se dividem nos treinos da manhã e da tarde, após o período escolar de cada um. Com pouco mais de um ano existência, o projeto já apresenta resultados.

Segundo os instrutores, os alunos estão mais disciplinados além de se destacarem nos estudos. O Núcleo do Jardim das Paineiras integra o projeto esportivo desenvolvido pelo Prefeito Lucas Pocay para levar aulas de futebol a todas as regiões de Ourinhos. Ao todo são 12 centros esportivos que atendem mais de mil alunos.

Os professores Gerônimo Costa, conhecido como “Loni”, e Idair Neves de Oliveira, o “Iba”, acreditam que unir um trabalho social ao esporte gera resultados positivos quando se tem as metas pré estabelecidas. “O Prefeito Lucas Pocay realmente lançou um projeto fantástico de levar o esporte para os bairros. É muito prazeroso fazer este trabalho social de resgate desses meninos que poderiam estar desocupados pelas ruas e ensiná-los a ter disciplina e técnica de futebol”, conta Loni.

Segundo ele, a cobrança de boas maneiras para a prática da cidadania não é cobrado apenas dentro de campo, mas também em casa e no relacionamento entre amigos. “Aqui, chegou tem que dar bom dia para todos. A criança precisa aprender a maneira certa. É como no jogo. No começo, todos correm atrás da bola. Depois, vão entendendo que há posições para jogar. E por fim, estão tocando a bola um para o outro com o objetivo de fazer o gol. Na vida também é assim. Uma construção de bons modos, caráter, disciplina que acaba refletindo dentro de suas casas e no decorrer de suas vidas”, explica.

Loni é ex-atleta profissional de futebol, jogando por vários times cariocas e capixabas. Para ele, um princípio básico do sucesso de qualquer profissional é o respeito. “Aqui nós cobramos respeito pelo próximo, pelos professores, pelos pais. Respeito é entender o seu espaço, sua responsabilidade e as diferenças entre um e outro. Aqui há hora de cobrança, hora de incentivo, hora do abraço, hora da bronca. É assim que a criança começa a assimilar seus erros e acertos e a querer acertar”, afirma.


O professor diz que para que crianças se destaquem quando forem adultas é preciso seguir bons exemplos. “Eu sou um atleta e por isso tenho uma vida regrada. Se quero revelar atletas desse time, eles precisam se espelhar em seus professores, pais, autoridades que lhes representam para se tornarem igual ou melhores. É assim que trabalhamos. Dando exemplo para que eles se destaquem”, revela.

O aluno Rodrigo de Souza Vilalba, de 10 anos, treina há meses no projeto. Para Rodrigo, jogar bola faz parte do seu sonho de ser um grande atleta profissional. Para isso, ele se dedica ao máximo para aprender durante as aulas. “Eu fiquei muito feliz quando começou o projeto aqui no bairro, porque se a gente não tivesse agora jogando, a gente estaria pela rua por aí. Sonho em ser jogador de futebol e estou só no começo deste sonho, me dedicando para aprender tudo que eu puder e me destacar lá na frente”, fala.

Mateus Henrique da Silva Demaquione, de 9 anos, compartilha do mesmo sonho, mas além de aprender futebol, ele mostra que os ensinamentos vão além do alambrado do campo. “Aqui aprendemos mais do que técnica de jogo. A gente aprende a respeitar o próximo, as estratégias que desenvolvem nosso raciocínio, a gente aprende a ter disciplina em relação a horário, a posição no jogo e tudo isso é muito bom. O professor é muito exigente e eu acredito que assim que se aprende”, opina.

Mateus acrescenta que se dedica ainda mais aos estudos para ter certeza que não ficará de fora do projeto. “Aqui eles cobram boas notas para poder fazer parte. Então, tento fazer minhas lições corretamente e prestar atenção nas aulas para ir bem na prova para não perder esta oportunidade que, para mim, é a realização de um sonho a longo prazo”, conta.