Editorial: Propaganda e publicidade, esqueça o facebook, invista nos sites


Não é de hoje que o Facebook dá sinais que o objetivo da empresa é restringir ao máximo postagens não patrocinadas para fins comerciais e/ou marketing pessoal. Inicialmente a tática de Mark Zuckerberg foi atrair, de forma gratuita através da criação de fan pages, pessoas e empresas interessadas em divulgação de imagens e produtos, oferecendo sem custos uma excelente visibilidade na rede social.

Deu muito certo e a adesão em massa gerou durante anos um grande lucro com publicidade para o Facebook.  E por outro lado, muita gente conseguiu divulgação de graça. Entretanto, a rede social quer mais ($$$), e nos últimos anos vem aprimorando seu algoritmo no intuito restringir publicações não patrocinadas.

Segundo especialistas, com a nova forma do Facebook posicionar os posts que aparecem na linha do tempo de seguidores de fan pages, pouco adianta a página ter milhares curtidas. Caso a publicação não seja patrocinada, dificilmente aparecerá na linha do tempo do seguidor. Especialmente em razão disso, grandes portais como Folha de São Paulo, Veja e Estadão já limitam seu conteúdo em suas páginas oficiais no Facebook.

Com isso, quem se especializou na divulgação de conteúdo e notícias, como blogs, sites e portais, poderá recuperar um espaço perdido ao longo do tempo devido o crescimento das redes sociais, fato que deverá reaquecer o mercado de publicidade para estes canais.


Notícias relacionadas

26/02/2018 - Facebook mostra cada vez menos postagens na linha do tempo de seguidores de fan pages