Remédios de fornecimento obrigatório pelo Estado estão em falta em Ourinhos

As prateleiras de medicamentos de responsabilidade da Prefeitura de Ourinhos estão completas

Medicamentos que o Governo do Estado de São Paulo tem a obrigação de fornecer estão em falta nas prateleiras há pelo menos cinco meses. São remédios para tratamento da diabetes, circulação, relaxantes musculares e para desordem de atenção que, de acordo com a Secretaria do Estado da Saúde, não são adquiridos por falta de recursos. As informações são da Farmácia Central do Município de Ourinhos, responsável pelo repasse dos produtos destinados pelo Estado aos pacientes do município. 

A maioria dos medicamentos tem alto custo e são fornecidos gratuitamente após os pacientes ganharem na justiça processos administrativos ou ações judiciais.
Segundo o Chefe da Farmácia Central do Município, Ricardo Gonçalves Machado, há sete meses o Estado não fornece o Cilostazol, medicamento que previne novos casos de AVC (Acidente Vascular Cerebral). Desde abril deste ano os pacientes também não encontram o Ritalina, orientado a crianças com déficit de atenção. Também estão em falta o Clopidogrel e o Daflon, ambos para a circulação, além do Baclofeno, um relaxante muscular, e até um tipo de insulina.

O centro de distribuição regional dos medicamentos de responsabilidade do Estado fica em Marília, no Medex. Segundo Ricardo, todos os meses a Farmácia Central do Município envia as receitas médicas de pacientes de Ourinhos, mas na maioria das vezes, volta com as mãos vazias. “E são medicamentos que o município de Ourinhos não tem como providenciar porque são de responsabilidade do Estado. Outro problema é que não fornecem prazo para regularizar a situação”, diz.

PREFEITURA DE OURINHOS

Ao contrário do cenário desolador produzido pelo Governo do Estado, as prateleiras de medicamentos de responsabilidade da Prefeitura de Ourinhos estão completas. São mais de 80 tipos de remédios relacionados pela Rename (Relação Nacional de Medicamentos Essenciais). São produtos distribuídos gratuitamente, via receita médica fornecida aos pacientes que passam por consulta na rede municipal de saúde.

Os medicamentos distribuídos são indicados principalmente para o controle da hipertensão, além de analgésicos, antianêmicos, redução do colesterol, antibióticos, entre muitos outros. A Farmácia Central fica ao lado do Postão Central e funciona das 7h às 23h, sem fechar para o almoço.
Próxima
« Prev Post
Anterior
Next Post »