Dia da Mata Atlântica reúne 1.500 pessoas no Parque Ecológico

Paulo Silva Souza, gerente do Parque Ecológico.

As atividades desenvolvidas no Parque Ecológico Municipal, no Dia Nacional da Mata Atlântica, celebrado em 27 de maio, reuniu cerca de 1.500 visitantes. A programação extensa e gratuita promovida pela Prefeitura de Ourinhos em parceria com as Fio (Faculdades Integradas de Ourinhos) atraiu muitas famílias, estudantes e autoridades para uma das mais importantes áreas de Mata Atlântica preservada da região.

Caio Lima, vereador.

A abertura do evento ocorreu às 13h e teve apresentações de dança, música, literatura e atividades de conscientização sobre preservação ambiental. Estiveram presentes o prefeito Lucas Pocay e a primeira-dama Clara Pocay; o ex-prefeito Claudemir Alves da Silva; o secretário de Meio Ambiente e Desenvolvimento Econômico Sustentável, Júlio Gurgel; e os vereadores Alexandre Zoio, Caio Lima, Sargento Sérgio e Cícero Investigador.

Lucas Pocay, prefeito municipal.

“Nós temos um lugar abençoado em nossa cidade, que é o Parque Ecológico, um bioma da Mata Atlântica. Um lugar onde podemos recarregar nossas energias, e que a cada dia pode ser mais aproveitado pela população. Quero agradecer a todos que fazem parte deste trabalho lindo, de toda equipe do parque, e a todo engajamento na busca pela consciência ambiental que é fundamental para uma vida de sustentabilidade e qualidade de vida para as futuras gerações”, afirmou o prefeito Lucas Pocay.

Claudemir Alves da Silva, ex-prefeito de Ourinhos.

Em seu discurso o ex-prefeito Claudemir Alves da Silva explicou todo o processo de preservação do parque, que leva o nome de sua falecida esposa, a bióloga Tânia Mara Netto Silva.

“A preocupação da Tânia na época, como bióloga e uma pessoa muito sensível, era ver essa reserva se extinguindo. Naquela época eu jamais imaginaria que eu teria oportunidade de ser Prefeito e quando ocupei esse cargo umas das preocupações foi essa, preservar a última reserva de Mata Atlântica dentro do perímetro urbano. Para isso fizemos o projeto do Parque Ecológico, com a ajuda da Unesp que fez um profundo trabalho na área técnica e ambiental. Hoje eu fico muito feliz de ver a importância dada ao parque, pois na realidade quem fez toda essa natureza foi Deus, e o que fizemos foi preservar e montar uma estrutura para que as pessoas pudessem aproveitar esse espaço”, explica.

O objetivo do evento também foi divulgar o papel de destaque do Parque dentro do Estado de São Paulo. Pelo fato de ter mais de 10 hectares de área, o local entra no mapeamento do Ministério do Meio Ambiente.

Carolina da Silva Souza Gessner, bióloga.

“É uma área de extrema importância para a preservação de biodiversidade, muito mais que um lar dos macacos pregos, ela guarda uma riqueza enorme de vegetação e isso deve ser valorizado” afirma a bióloga e docente do curso de Ciências Biológicas das Fio e organizadora do evento, Carolina da Silva Souza Gessner.

Além das campanhas de conscientização todos puderam prestigiar a “Trilha das Artes”, por todo o trajeto do parque, exposição de pinturas, fotografias, ilustrações, poesias, oficina de fanzines e um jardim sensorial. Foram realizadas também: oficinas de yoga, teatro e aulas de tai chi chuan.

Bruno Silva, morador da Vila Musa, acompanhado da esposa e dos filhos gostou muito das atividades para as crianças. “Ainda não tínhamos vindo ao parque e gostamos muito de conhecer, as crianças adoraram as brincadeiras e o passeio, podia ter mais vezes” diz.

Alunos das FIO realizaram exposição de seus trabalhos.

Os alunos do curso de Ciências Biológicas das FIO expuseram todo o levantamento feito pela faculdade do bioma do Parque com sua biodiversidade de insetos, fungos, plantas arborizadas, mudas e os métodos de coleta.

Júlio Gurgel, secretário de meio ambiente.

Segundo o Secretário de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável, Júlio Gurgel tal levantamento é extremamente importante para determinar o equilíbrio que existe entre a mata e a fauna. “Você tem insetos que são indicadores de equilíbrio entre o ecossistema identificando como a natureza está reagindo aos impactos que causamos” explica

O Parque Ecológico funciona de segunda a sexta – feira, das 8h às 12h e das 14h às 18h. Em feriados e aos finais de semana das 8h às 18h.
Próxima
« Prev Post
Anterior
Next Post »