Vereador Cícero Investigador quer a volta do atendimento do COPOM em Ourinhos





Atualmente, quem liga 190 é atendido pelo Centro de Operações de Bauru


Durante a 2ª Sessão Ordinária, realizada no último dia 13, o vereador Cícero de Aquino “Cícero Investigador” (PRB) ressaltou a importância do atendimento do COPOM (Centro de Operações da Polícia Militar) voltar a ser realizado em Ourinhos.

Hoje, quando acontece alguma ocorrência, os cidadãos que ligam no 190 são atendidos pelo COPOM de Bauru, o que está dificultando em muitos casos o atendimento rápido aos ourinhenses. “Eu prefiro acreditar que essa determinação de transferir o COPOM local para Bauru partiu de um projeto da capital, pois a realidade do inteprior é bem diferente. Bauru está a mais de 100 km de Ourinhos, não é possível que houve um estudo quando foi transferido o atendimento. Temos 89 municípios, sete batalhões da polícia militar – Ourinhos, Assis, Bauru, Jaú, Lins, Marília e Tupã, sob o comando do CPAI - 4 de Bauru, o que significa 2.091.688 habitantes, isso de acordo com o Censo 2010. Evidente que esse número hoje é muito maior, ou seja, milhões de pessoas dependem de um único atendimento para ocorrências, uma área de 32.893 quilômetros quadrados. Um absurdo. Esses dados são reais, qualquer cidadão pode acessar fazendo uma pesquisa na internet”, relatou o vereador.

Cícero contou casos de emergências policiais da cidade que tiveram problemas de atendimento, pois o COPOM Bauru acaba sempre pedindo endereço completo da ocorrência. “Quem liga 190 geralmente está com seu estado psicológico abalado e vai ter dificuldade de descrever rua e número. O atendente de Bauru não tem conhecimento geográfico da cidade, essa situação acaba punindo duas vezes a vítima, que fica em situação frágil, e também a polícia, que chega na ocorrência sem saber o que vai encontrar”.

O vereador relatou que recebe constantemente reclamações da população. “Tenho certeza que se houvesse um canal para medir a qualidade do atendimento do 190 haveria  inúmeras críticas. Faço um apelo para que todos se engajem nessa luta. Não estou erguendo essa bandeira por ser policial civil, mas sim pela população de Ourinhos. Precisamos ir até o Governo do Estado e trabalhar unidos para a volta do atendimento local. O formato hoje adotado por esse sistema 190 causa insegurança até mesmo aos policiais envolvidos no atendimento junto a população. É um verdadeiro desrespeito aos profissionais envolvidos na atividade. O que acontece hoje é um verdadeiro retrocesso, uma irresponsabilidade do Estado sem precedentes”, finalizou.






Atualmente, quem liga 190 é atendido pelo Centro de Operações de Bauru


Durante a 2ª Sessão Ordinária, realizada no último dia 13, o vereador Cícero de Aquino “Cícero Investigador” (PRB) ressaltou a importância do atendimento do COPOM (Centro de Operações da Polícia Militar) voltar a ser realizado em Ourinhos.


Hoje, quando acontece alguma ocorrência, os cidadãos que ligam no 190 são atendidos pelo COPOM de Bauru, o que está dificultando em muitos casos o atendimento rápido aos ourinhenses. “Eu prefiro acreditar que essa determinação de transferir o COPOM local para Bauru partiu de um projeto da capital, pois a realidade do inteprior é bem diferente. Bauru está a mais de 100 km de Ourinhos, não é possível que houve um estudo quando foi transferido o atendimento. Temos 89 municípios, sete batalhões da polícia militar – Ourinhos, Assis, Bauru, Jaú, Lins, Marília e Tupã, sob o comando do CPAI - 4 de Bauru, o que significa 2.091.688 habitantes, isso de acordo com o Censo 2010. Evidente que esse número hoje é muito maior, ou seja, milhões de pessoas dependem de um único atendimento para ocorrências, uma área de 32.893 quilômetros quadrados. Um absurdo. Esses dados são reais, qualquer cidadão pode acessar fazendo uma pesquisa na internet”, relatou o vereador.


Cícero contou casos de emergências policiais da cidade que tiveram problemas de atendimento, pois o COPOM Bauru acaba sempre pedindo endereço completo da ocorrência. “Quem liga 190 geralmente está com seu estado psicológico abalado e vai ter dificuldade de descrever rua e número. O atendente de Bauru não tem conhecimento geográfico da cidade, essa situação acaba punindo duas vezes a vítima, que fica em situação frágil, e também a polícia, que chega na ocorrência sem saber o que vai encontrar”.


O vereador relatou que recebe constantemente reclamações da população. “Tenho certeza que se houvesse um canal para medir a qualidade do atendimento do 190 haveria  inúmeras críticas. Faço um apelo para que todos se engajem nessa luta. Não estou erguendo essa bandeira por ser policial civil, mas sim pela população de Ourinhos. Precisamos ir até o Governo do Estado e trabalhar unidos para a volta do atendimento local. O formato hoje adotado por esse sistema 190 causa insegurança até mesmo aos policiais envolvidos no atendimento junto a população. É um verdadeiro desrespeito aos profissionais envolvidos na atividade. O que acontece hoje é um verdadeiro retrocesso, uma irresponsabilidade do Estado sem precedentes”, finalizou.




 


Próxima
« Prev Post
Anterior
Next Post »