DESENVOLVIMENTO: Dois governadores estiveram em Ourinhos e Ribeirão Claro pelo projeto Angra Doce



“Se cuida Angra dos Reis, vem aí o Angra Doce”, profetizou o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, animado com o projeto de autoria do deputado federal Capitão Augusto


No último final de semana, Ourinhos recebeu a visita dos governadores Geraldo Alckmin (SP) e Beto Richa (PR), que desceram no aeroporto local, tomaram um café numa padaria da cidade e seguiram para o encontro que deve entrar para a história da região, onde foi assinado por ambos um protocolo de intenções que prevê investimentos nos 15 municípios que compõe o Projeto Angra Doce, uma iniciativa do deputado federal Capitão Augusto.

O evento contou com a presença, além dos governadores dos dois estados, de vários secretários de Estado, deputados estaduais do Paraná, prefeitos e vereadores das regiões sudoeste de São Paulo e norte do Paraná. A organização foi do próprio Governo do Paraná, com patrocínio da Sanepar, envolvendo várias secretarias daquele Estado. O local foi o resort Tayayá, em Ribeirão Claro, que nunca deve ter recebido tantas pessoas para um único evento, já que foi bastante concorrido.

A região de Angra Doce se define pelos 15 municípios que cercam a represa Xavantes, 10 de São Paulo e 5 do Paraná, mas pelo menos 5 outras cidades deverão ser incluídas logo após a promulgação da lei federal, cujo projeto é de autoria do deputado federal Capitão Augusto, o qual estabelece essa região como especial para o interesse turístico nacional.

Do lado do Paraná, o governador Beto Richa entregou um caminhão de coleta de lixo reciclável e óleo de cozinha e recursos de R$ 2,8 milhões para asfaltamento de uma das principais vicinais com pavimentação precária, justamente a que já atende a pousadas, marinas e resorts que já se levantam no município de Ribeirão Claro.

Na solenidade, o deputado estadual do Paraná, Pedro Lupion, disparou em seu discurso: “Precisou um deputado federal por São Paulo criar um projeto tão importante para nós paranaenses como o Angra Doce”, se referindo ao Capitão Augusto. E emendou: “Mas o senhor agora é também do Paraná, deputado”.

Antes de chegar ao Tayayá, Richa e Alckmin convidaram Capitão Augusto para um sobrevôo de helicóptero sobre a represa. Segundo o deputado, o encantamento de ambos era explícito, tantas eram as fotos que tiravam de seus próprios celulares.

Alckmin lembrou a profissão do pai, que era veterinário e dedicou grande parte da sua vida à piscicultura, uma das vertentes do projeto que serão trabalhadas. “Peixe é a melhor fonte de proteínas”, ouvia Alckmin de seu pai. Animado com a movimentação pro desenvolvimento regional a partir da iniciativa do deputado ourinhense, o governador paulista não perdeu a oportunidade de provocar a famosa região sul fluminense: “Se cuida Angra dos Reis, vem aí o Angra Doce”.

Na prática, o projeto de lei do Capitão Augusto viabiliza institucionalmente a possibilidade de investimentos pelos dois Estados nessa região, dentro do prisma da atividade econômica do turismo. Mais que isso, a iniciativa do deputado ourinhense parece ter despertado a atenção de inúmeras frentes de fomento, dos municípios aos governos estaduais, da iniciativa privada à ONU (Organização das Nações Unidas). Integram o projeto as cidades de Ribeirão Claro, Carlópolis, Siqueira Campos, Jacarezinho e Salto do Itararé, no Estado do Paraná; e Chavantes, Ourinhos, Canitar, Ipaussu, Timburi, Piraju, Fartura, Bernardino de Campos, Itaporanga e Barão de Antonina, no Estado de São Paulo. 








“Se cuida Angra dos Reis, vem aí o Angra Doce”, profetizou o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, animado com o projeto de autoria do deputado federal Capitão Augusto

No último final de semana, Ourinhos recebeu a visita dos governadores Geraldo Alckmin (SP) e Beto Richa (PR), que desceram no aeroporto local, tomaram um café numa padaria da cidade e seguiram para o encontro que deve entrar para a história da região, onde foi assinado por ambos um protocolo de intenções que prevê investimentos nos 15 municípios que compõe o Projeto Angra Doce, uma iniciativa do deputado federal Capitão Augusto.

O evento contou com a presença, além dos governadores dos dois estados, de vários secretários de Estado, deputados estaduais do Paraná, prefeitos e vereadores das regiões sudoeste de São Paulo e norte do Paraná. A organização foi do próprio Governo do Paraná, com patrocínio da Sanepar, envolvendo várias secretarias daquele Estado. O local foi o resort Tayayá, em Ribeirão Claro, que nunca deve ter recebido tantas pessoas para um único evento, já que foi bastante concorrido.

A região de Angra Doce se define pelos 15 municípios que cercam a represa Xavantes, 10 de São Paulo e 5 do Paraná, mas pelo menos 5 outras cidades deverão ser incluídas logo após a promulgação da lei federal, cujo projeto é de autoria do deputado federal Capitão Augusto, o qual estabelece essa região como especial para o interesse turístico nacional.

Do lado do Paraná, o governador Beto Richa entregou um caminhão de coleta de lixo reciclável e óleo de cozinha e recursos de R$ 2,8 milhões para asfaltamento de uma das principais vicinais com pavimentação precária, justamente a que já atende a pousadas, marinas e resorts que já se levantam no município de Ribeirão Claro.

Na solenidade, o deputado estadual do Paraná, Pedro Lupion, disparou em seu discurso: “Precisou um deputado federal por São Paulo criar um projeto tão importante para nós paranaenses como o Angra Doce”, se referindo ao Capitão Augusto. E emendou: “Mas o senhor agora é também do Paraná, deputado”.

Antes de chegar ao Tayayá, Richa e Alckmin convidaram Capitão Augusto para um sobrevôo de helicóptero sobre a represa. Segundo o deputado, o encantamento de ambos era explícito, tantas eram as fotos que tiravam de seus próprios celulares.

Alckmin lembrou a profissão do pai, que era veterinário e dedicou grande parte da sua vida à piscicultura, uma das vertentes do projeto que serão trabalhadas. “Peixe é a melhor fonte de proteínas”, ouvia Alckmin de seu pai. Animado com a movimentação pro desenvolvimento regional a partir da iniciativa do deputado ourinhense, o governador paulista não perdeu a oportunidade de provocar a famosa região sul fluminense: “Se cuida Angra dos Reis, vem aí o Angra Doce”.

Na prática, o projeto de lei do Capitão Augusto viabiliza institucionalmente a possibilidade de investimentos pelos dois Estados nessa região, dentro do prisma da atividade econômica do turismo. Mais que isso, a iniciativa do deputado ourinhense parece ter despertado a atenção de inúmeras frentes de fomento, dos municípios aos governos estaduais, da iniciativa privada à ONU (Organização das Nações Unidas). Integram o projeto as cidades de Ribeirão Claro, Carlópolis, Siqueira Campos, Jacarezinho e Salto do Itararé, no Estado do Paraná; e Chavantes, Ourinhos, Canitar, Ipaussu, Timburi, Piraju, Fartura, Bernardino de Campos, Itaporanga e Barão de Antonina, no Estado de São Paulo.

Próxima
« Prev Post
Anterior
Next Post »