Angra Doce: Alckmin e Beto Richa fazem encontro histórico nesta sexta (03) em nossa região



Projeto de Lei do Capitão Augusto mobiliza dois Estados pelo desenvolvimento regional através do turismo


 
A próxima sexta-feira, 3, vai entrar para a história política da região que compreende diversos municípios das regiões sudoeste paulista e norte paranaense. Os governadores dos Estados de São Paulo e Paraná, respectivamente Geraldo Alckmin e Beto Richa, ambos do PSDB, marcaram um encontro inédito na divisa dos dois estados para assinar um protocolo de intenções de investimentos na região de Angra Doce, com base no projeto de lei federal de autoria do deputado Capitão Augusto (PR) que define essa área como especial de interesse turístico.

O local do encontro será Ribeirão Claro/PR, um dos municípios lindeiros ao reservatório da Represa Xavantes, especificamente no Tayayá Resort. Segundo o cerimonial do Palácio Iguaçu, em Curitiba, responsável pela organização do evento, os dois governadores chegarão primeiramente ao aeroporto de Ourinhos, às 9h desta sexta-feira. Embarcarão, em seguida, num helicóptero do Governo do Paraná na companhia do Capitão Augusto e secretários dos dois Estados para um sobrevôo de reconhecimento da região batizada como Angra Doce, cujo centro é o lago da represa com 400 km² de extensão e mais de 9 bilhões de m³ de água, formado pelos rios Paranapanema e Itararé.

Na prática, o projeto de lei do Capitão Augusto viabiliza institucionalmente a possibilidade de investimentos pelos dois Estados nessa região, dentro do prisma da atividade econômica do turismo. Mais que isso, a iniciativa do deputado ourinhense parece ter despertado a atenção de inúmeras frentes de fomento, dos municípios aos governos estaduais, da iniciativa privada à ONU (Organização das Nações Unidas). Integram o projeto as cidades de Ribeirão Claro, Carlópolis, Siqueira Campos, Jacarezinho e Salto do Itararé, no Estado do Paraná; e Chavantes, Ourinhos, Canitar, Ipaussu, Timburi, Piraju, Fartura, Bernardino de Campos, Itaporanga e Barão de Antonina, no Estado de São Paulo.

O PROJETO - Desde que o deputado federal levantou essa bandeira há menos de 2 anos, 15 municípios que compõem a área delimitada por seu projeto têm desenvolvido planos e ações práticas em prol do fomento turístico na região. O próprio deputado encabeçou a organização de seminários regionais para que diversos temas referentes ao projeto pudessem ser debatidos, como a pesca, a preservação ambiental, a pesquisa acadêmica, a cultura de cada cidade, entre outros. Ao todo, Capitão Augusto coordenou 7 seminários, cada um sediado em uma das cidades participantes. O último aconteceu em Ourinhos, com a presença da vice-diretora do Programa Cidades do Pacto Global da ONU, Elisabeth Ryan, que veio de Melbourne (Austrália) especialmente para conhecer o projeto de perto, já que fora inserido ao portifólio de iniciativas inovadoras que a ONU apoia em todo o mundo.

Outro ponto marcante da trajetória ainda curta do projeto Angra Doce foi quando o jornalista Fernando Gabeira dedicou a ele um episódio inteiro de seu programa na Globo News. Isso aconteceu depois que o próprio Gabeira, assistindo à Tv Câmara, viu Capitão Augusto falando sobre Angra Doce. O nome, criado pelo deputado, faz referência a Angra dos Reis, região formada por baías e ilhas localizada no litoral sul fluminense.

A cada seminário, novas participações e parcerias para o projeto foram surgindo. Uma das mais relevantes foi a aproximação de duas universidades públicas da região, a Unesp, por São Paulo, e a Uenp, pelo Paraná. Por conta do projeto, ambas se uniram em um convênio inédito que permitirá um trabalho de pesquisa conjunto em diversas áreas científicas, como a geologia, a arqueologia, a geografia, a climatologia, entre várias outras, sempre focado na região denominada Angra Doce. Até um curso de mestrado, fruto dessa parceria acadêmica, poderá ser criado.

O evento é aberto a todos os interessados no assunto. Após a solenidade, haverá um almoço oferecido pelo Governo do Paraná, através da Sanepar, às autoridades presentes. Os governadores retornam às capitais dos dois Estados por volta das 14h.








Projeto de Lei do Capitão Augusto mobiliza dois Estados pelo desenvolvimento regional através do turismo
A próxima sexta-feira, 3, vai entrar para a história política da região que compreende diversos municípios das regiões sudoeste paulista e norte paranaense. Os governadores dos Estados de São Paulo e Paraná, respectivamente Geraldo Alckmin e Beto Richa, ambos do PSDB, marcaram um encontro inédito na divisa dos dois estados para assinar um protocolo de intenções de investimentos na região de Angra Doce, com base no projeto de lei federal de autoria do deputado Capitão Augusto (PR) que define essa área como especial de interesse turístico.

O local do encontro será Ribeirão Claro/PR, um dos municípios lindeiros ao reservatório da Represa Xavantes, especificamente no Tayayá Resort. Segundo o cerimonial do Palácio Iguaçu, em Curitiba, responsável pela organização do evento, os dois governadores chegarão primeiramente ao aeroporto de Ourinhos, às 9h desta sexta-feira. Embarcarão, em seguida, num helicóptero do Governo do Paraná na companhia do Capitão Augusto e secretários dos dois Estados para um sobrevôo de reconhecimento da região batizada como Angra Doce, cujo centro é o lago da represa com 400 km² de extensão e mais de 9 bilhões de m³ de água, formado pelos rios Paranapanema e Itararé.

Na prática, o projeto de lei do Capitão Augusto viabiliza institucionalmente a possibilidade de investimentos pelos dois Estados nessa região, dentro do prisma da atividade econômica do turismo. Mais que isso, a iniciativa do deputado ourinhense parece ter despertado a atenção de inúmeras frentes de fomento, dos municípios aos governos estaduais, da iniciativa privada à ONU (Organização das Nações Unidas). Integram o projeto as cidades de Ribeirão Claro, Carlópolis, Siqueira Campos, Jacarezinho e Salto do Itararé, no Estado do Paraná; e Chavantes, Ourinhos, Canitar, Ipaussu, Timburi, Piraju, Fartura, Bernardino de Campos, Itaporanga e Barão de Antonina, no Estado de São Paulo.

O PROJETO - Desde que o deputado federal levantou essa bandeira há menos de 2 anos, 15 municípios que compõem a área delimitada por seu projeto têm desenvolvido planos e ações práticas em prol do fomento turístico na região. O próprio deputado encabeçou a organização de seminários regionais para que diversos temas referentes ao projeto pudessem ser debatidos, como a pesca, a preservação ambiental, a pesquisa acadêmica, a cultura de cada cidade, entre outros. Ao todo, Capitão Augusto coordenou 7 seminários, cada um sediado em uma das cidades participantes. O último aconteceu em Ourinhos, com a presença da vice-diretora do Programa Cidades do Pacto Global da ONU, Elisabeth Ryan, que veio de Melbourne (Austrália) especialmente para conhecer o projeto de perto, já que fora inserido ao portifólio de iniciativas inovadoras que a ONU apóia em todo o mundo.

Outro ponto marcante da trajetória ainda curta do projeto Angra Doce foi quando o jornalista Fernando Gabeira dedicou a ele um episódio inteiro de seu programa na Globo News. Isso aconteceu depois que o próprio Gabeira, assistindo à Tv Câmara, viu Capitão Augusto falando sobre Angra Doce. O nome, criado pelo deputado, faz referência a Angra dos Reis, região formada por baías e ilhas localizada no litoral sul fluminense.

A cada seminário, novas participações e parcerias para o projeto foram surgindo. Uma das mais relevantes foi a aproximação de duas universidades públicas da região, a Unesp, por São Paulo, e a Uenp, pelo Paraná. Por conta do projeto, ambas se uniram em um convênio inédito que permitirá um trabalho de pesquisa conjunto em diversas áreas científicas, como a geologia, a arqueologia, a geografia, a climatologia, entre várias outras, sempre focado na região denominada Angra Doce. Até um curso de mestrado, fruto dessa parceria acadêmica, poderá ser criado.

O evento é aberto a todos os interessados no assunto. Após a solenidade, haverá um almoço oferecido pelo Governo do Paraná, através da Sanepar, às autoridades presentes. Os governadores retornam às capitais dos dois Estados por volta das 14h.