Ourinhos tem um dos menores índices de mortalidade infantil de São Paulo

Em 2015, o índice foi de apenas 5,75 óbitos a cada mil crianças nascidas

O Governo de Ourinhos tem feito grandes investimentos em recursos humanos, equipamentos e projetos que tem refletido em bons resultados, como por exemplo a queda no Índice de Mortalidade Infantil nos últimos anos.
 

De acordo com dados da Secretaria Municipal de Saúde o índice de 2015 foi de 5,75 óbitos a cada mil crianças nascidas de até um ano de idade. A taxa tem apresentado uma queda significativa nos últimos anos. No período entre 2012 e 2015 a média foi de 7,57. Já no período dos anos de 93 a 96 a taxa manteve-se acima de 21 e no período de 2001 a 2004, foi de 13,63. Além disto, de 2005 até 2015 a taxa se manteve de 10 para baixo, de acordo com dados da Fundação Seade.
 

A taxa de mortalidade infantil é um dos indicadores mais utilizados para aferir as condições de saúde da população, em especial das crianças menores de um ano. A redução da taxa coloca Ourinhos em posição privilegiada no ranking do estado de São Paulo, onde a taxa de mortalidade infantil já é a menor do país.
 

A Prefeita Belkis Fernandes comemora a redução da mortalidade infantil na cidade. “Ficar entre os municípios com menor índice do estado é reflexo do forte investimento que temos feito na área da saúde, sendo essa uma das nossas principais preocupações. Aplicamos na saúde um percentual muito acima do que é exigido por lei, pensando sempre na qualidade de vida da nossa população”.
 

De acordo com o Secretário Municipal de Saúde, André Mello vários fatores contribuíram para a queda do índice. O Secretário aponta que houve o aumento do número de profissionais da área de enfermagem na Atenção Básica; realização de visitas domiciliares para bebês de alto risco; atendimento de bebês de alto risco em ambulatório específico; acompanhamento da gestante nas Unidades Básicas de Saúde durante o Pré-Natal com a realização de no mínimo 6 consultas médicas e 3 consultas de enfermagem; garantia de no mínimo 2 ultrassonografias; capacitações sobre doenças sexualmente transmissíveis e outras ações pontuais.
 

“São inegáveis os avanços na Saúde que verificamos nos últimos anos. Nós temos um conjunto de ações e investimentos em toda a nossa chamada rede de atenção básica que possibilita que nós tenhamos esse sucesso. Os números são resultados do trabalho compromissado, transparente, pautado em diretrizes de gestão da Prefeitura, o que gera o surgimento de índices positivos que revelam a qualidade dos serviços em saúde prestados”, concluiu.
Próxima
« Prev Post
Anterior
Next Post »