Prefeitura apresentou Plano Municipal de Mobilidade Urbana na Câmara Municipal

Share:
A atual área da ferrovia será o eixo
principal para estruturação da Mobilidade Urbana
Na última semana, a Prefeitura de Ourinhos, por meio da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Urbano apresentou na Câmara Municipal aos vereadores, funcionários públicos, representantes de entidades assistenciais e demais cidadãos, o Plano Municipal de Mobilidade Urbana, seguindo as Diretrizes da Lei Federal nº. 12.587/2012.
 

O Plano foi apresentado pelo secretário municipal de Desenvolvimento Urbano Gustavo Gomes, que apontou os principais pontos do projeto. “Foi apresentada uma Lei que fala sobre dois temas importantes, que é mobilidade e acessibilidade. Dentro da mobilidade foram apresentadas 12 grandes obras de mobilidade do trânsito, pedestres e ciclovias, entre elas, a mais importante, que é o futuro do transporte público de Ourinhos, que seria a reutilização da malha ferroviária (quando houver o contorno) para transporte público dentro da cidade. É uma obra de grande porte que precisa ser analisada desde já”.
 

“Juntamente com o Conselho Municipal da Pessoa com Deficiência e Conselho Municipal do Idoso foi inserido na mobilidade o tema acessibilidade e o principal item a ser destacado é a criação de uma Comissão Permanente de Acessibilidade dentro da Prefeitura que é mais do que um Conselho, uma vez que, tem por objetivo buscar as verbas para a execução das obras, além da fiscalização de obras púbicas e particulares”, completou Gustavo Gomes.
 

Caso o Plano seja aprovado, a Prefeitura deverá desenvolver dentro de um ano os estudos básicos para começar a fazer o orçamento das obras e depois a implantação do Conselho Municipal de Mobilidade e a Comissão Permanente de Acessibilidade que são os dois órgãos dentro da Prefeitura que desenvolverão o projeto.

“Nesta segunda audiência eu fui convidado pra explicar às pessoas que lá estavam os grandes pontos, que são 66 artigos pra deixar sem dúvida nenhuma e para a Câmara poder votar com consciência e com segurança”, explicou o Secretário.
 

Com uma execução a longo e médio prazo, o projeto é válido por 20 anos e deve ser revisado a cada 10 anos, em decorrência das mudanças sofridas pela cidade.
 

Para Gustavo Gomes, o Plano apresenta uma grande relevância ao município. “Com este plano o deslocamento das pessoas no meio urbano será facilitado e consequentemente haverá uma melhora na fluidez do trânsito, por exemplo. Sem contar nas melhores condições de acessibilidade às pessoas com deficiência. Com isso a cidade só tende a se desenvolver de forma organizada”.