8ª Mostra Sérgio Nunes traz para Ourinhos uma grande variedade de espetáculos teatrais

Prefeita Belkis Fernandes e o secretário de Cultura Júlio Cesar de Oliveira
 

Começou no último sábado, 21, a 8ª edição da Mostra Sérgio Nunes de Artes Cênicas. A abertura contou com a presença da Prefeita Belkis Fernandes e do Secretário de Cultura, Julio Cesar de Oliveira.
 

A 8ª Mostra Sérgio Nunes traz para Ourinhos uma grande variedade de espetáculos teatrais, abordando diversas escolas de dramaturgia. A abertura da mostra contou com a peça “Pessoas Sublimes” do grupo paulistano Os Satyros.
 

O espetáculo é a segunda parte uma trilogia iniciada em Pessoas Perfeitas. À beira da represa Guarapiranga, há um condomínio com um portal de passagem entre o mundo dos vivos e o dos mortos. Lá vivem pessoas que dividem seus dramas, como o jovem nerd apaixonado pela menina fútil; o casal que cria abelhas sem saber o que os aguarda; as irmãs que se odeiam e tentam aprender a se suportar; o menino tímido e o ex-matemático. Os dramas desses personagens, e a dinâmica entre eles, dão o tom da montagem.
 

No domingo, 22, a Mostra contou uma dose dupla de espetáculos. No Espaço Cultural Casa dos Ingleses (Avenida Rodrigues Alves, nº 170), foi encenada a peça Ambulante, da Companhia Arte Negus, de São Paulo. A peça acompanha os personagens Figura e Ououou. Um é ex-paraquedista militar, o outro um herdeiro de uma longa e distinta linhagem de mascateiros. Os dois são opostos que se complementam, e têm em sua banca os mais variados tipos de produtos.
 

À noite no Teatro Municipal, foi apresentada a montagem de Histórias das Malocas, do Grupo Municipal de Teatro Pó Pá Tápa Taio, da cidade de Avaré. Trata-se de um espetáculo musical inspirado no universo de Adoniran Barbosa.
 

Próximas apresentações

Na segunda feira, 23, às 20h30, haverá um espetáculo de dança, linguagem que também faz parte das chamadas artes cênicas. A Companhia Fragmento de Dança, de São Paulo, apresenta o espetáculo Porque somos mutantes. A companhia teve como ponto de partida a obra do escultor e fotógrafo Jason Taylor para pesquisar um corpo impermanente por onde transitam memórias e sentimentos, numa linha de tempo não linear. Foram investigados alguns procedimentos utilizados por estátuas vivas a fim de entender o que se passa no contraste entre pausa e movimento.
 

Na terça, às 20h30, a Companhia Complexo de Actoris, de Ourinhos, apresenta no Teatro Municipal a montagem O Alienista, adaptada do texto homônimo de Machado de Assis. Na trama, acompanhamos Dr. Simão Bacamarte, que retorna ao Brasil após conquistar respeito em sua carreira de médico na Europa. Ele dedica-se ao estudo da psiquiatria e constrói um manicômio, onde abriga todos os loucos da cidade e região. Machado de Assis dialoga com as fronteiras do que é normal e do que é anormal, e explora, com ironia, o comportamento das pessoas, à vaidade e o egoísmo. A montagem tem direção de Karina Zimmermann, curadora da Mostra Sérgio Nunes.
 

Dia 25, quarta, tem início a sequência de espetáculos da mostra competitiva, de grupos menos consolidados no cenário teatral brasileiro, mas de qualidade também altíssima, que disputarão prêmios em dinheiro. O primeiro grupo a se apresentar nessa categoria, será Os Bárbaros Companhia de Teatro, de Presidente Prudente, com a montagem Casa de Bonecas. A trama é baseada em texto de Henrik Ibsen e se desenrola na Noruega, acompanhando a história de Nora Helmer, esposa de Torvald, alto funcionário de um banco. Através da dinâmica entre esses dois personagens, a peça discute assuntos como o machismo, a sujeição a que as mulheres são submetidas e a sociedade patriarcal. Às 20h30, no Teatro Municipal.
 

Na Quinta, 26, o Espaço Cultural Casa dos Ingleses recebe, a partir das 17h, o espetáculo Mazzaropi, Um Certo Sonhador, da Companhia Arte das Águas, de Ibirá (SP). Em forma de musical,  a peça conta um pouco sobre a biografia do ator e diretor de cinema Mazaroppi, ícone da cultura popular brasileira.
 

Ainda  no dia 26, às 20h30, no Teatro Municipal, a Companhia Apocalíptica, de São José do Rio Preto, encena Homem do Princípio ao Fim. Trata-se de uma colagens de vários textos de Millôr Fernandes, cujo objetivo final é investigar, com muito humor, a história da humanidade, desde Adão e Eva até as bombas de Hiroshima e Nagasaki.
 

Na sexta, 27, o grupo Carranca Coletivo, do Rio de Janeiro, apresenta o espetáculo Nada Menos Que Muito, peça que aponta um olhar reflexivo sobre as dificuldades de comunicação e convivência nas grandes cidades. O espetáculo apresenta personagens urbanos em situações-limite, criando um ambiente tragicômico.
 

Encerrando a mostra competitiva e também a 8ª Mostra Sérgio Nunes, teremos, no sábado, 28, a partir das 20h30, o Grupo Preto no Branco, de São Carlos, com a montagem de A Sapateira Prodigiosa. Sobre texto de Frederico García Lorca, o espetáculo apresenta variados aspectos do convívio comunitário entre moradores de um bairro emergente. A convivência nem sempre pacífica entre esses personagens é o fio condutor do espetáculo.
 

Em seguida serão anunciados os vencedores da mostra competitiva.
 

Toda a programação da 8ª Mostra Sergio Nunes de Artes Cênicas é inteiramente gratuita. A Mostra é uma realização da Prefeitura Municipal de Ourinhos através da Secretaria Municipal de Cultura, com apoio do governo do estado de São Paulo. Todas as informações sobre a mostra podem ser obtidas em facebook.com/mostrasergionunes, mostrasergionunes.wordpress.com ou facebook.com/culturaourinhos; e também pelo telefone 3302 3344.
Próxima
« Prev Post
Anterior
Next Post »