Ourinhos, as eleições de 2016 estão aí...



Muita atenção ou   ...salve-se quem puder!

As eleições estão aí, batendo à sua porta, e nelas escolheremos os vereadores e o prefeito (a) para o quadriênio compreendido 2017/2020, o que preocupa quem acompanha os acontecimentos da cidade e percebe que existem coisas erradas na política ourinhense.

Mas, erradas, tortas, desviadas, camufladas, nada disso interessa aos que procuram pelo poder a qualquer custo, pois a eles o interesse público não existe, apenas buscam por seus próprios interesses pessoais e de seus apaniguados, que os ajudam a lá estarem, trocando o dinheiro público por suas benesses que chegam a somar o dobro de seus salários, pagos pelo povo.

Além disso, tudo o que pode ser transformado em dinheiro é negociado da mais vil forma, sem qualquer pudor, com traições, exigências e chantagens, embromações e mentiras, muitas mentiras, desrespeitando os princípios que deveriam nortear suas atuações na vida pública, tanto legais como morais, causando enormes prejuízos aos cofres públicos e consequentemente à população.

Esse dinheiro público desviado serviria muito bem nesta época de escassez, pois, com a falta de verbas dos governos federal e estadual, os municípios estão passando por dificuldades e, esse dinheiro, com certeza viria em boa hora para satisfazer as prioridades da Saúde, da Educação, Serviços Sociais, Saneamento Básico e de infraestrutura, o que não é respeitado e se transforma em prejuízos causados por quem foi eleito para fiscalizar justamente os gastos públicos e representar o povo.

Felizmente a prefeita Belkis Fernandes soube nos anos anteriores administrar com seriedade e sabedoria, consertando muitos desses pontos errados em nossa cidade, corrigindo falhas e agilizando obras necessárias, reparando e melhorando quase toda infraestrutura municipal que não estava nada bem quando a recebeu, apontando a Saúde como um exemplo a seguir por outros municípios, assim como as obras necessárias que aguardavam ha décadas para serem executadas, que colocavam a população em risco, dificuldades essas que foram sanadas pela prefeita que, sem dinheiro, saiu à luta em busca de verbas e condições especiais na gerência da cidade, provando ser a prefeita empreendedora de Ourinhos, quem mais recapeamentos asfáltico realizou na cidade, repisando, sem dinheiro em caixa, que colocou os interesses públicos acima dos interesses pessoais, como é dever do administrador sério e competente, que gosta, que tem amor por sua cidade, por seu povo.

Não podemos dizer a mesma coisa da Câmara Municipal de Ourinhos, onde os vereadores colocaram seus interesses pessoais e eleitoreiros acima dos interesses públicos, deixando a desejar, esbanjando dinheiro público em época crítica para o setor financeiro do Município e colocando a população ourinhense em dificuldades, com falta de verbas e sem fiscalização idônea.

Além disso, diante da crise que o Município enfrenta, os atuais vereadores não atenderam os reclamos populares com respeito aos altos salários que recebem, os maiores da região, sem contrapartida à população a qual desrespeitam impiedosamente, não exoneraram os assessores parlamentares e os cargos em comissão excedentes na “Casa de Leis”, além das existentes mordomias desnecessárias que dobram seus salários, lembrando que o que recebem não são salários e sim “subsídios superfaturados”, eis que não correspondem ao trabalho executado, como deveria,  pois, repetindo, não há trabalho digno, de interesse público realizado, o que não tem razão de existir e, para piorar ainda mais, para os atuais vereadores permanecerem em suas cadeiras em 2017, tiveram a desfaçatez e desrespeito mais uma vez com a população, aumentando eles próprios, sem qualquer consulta popular, de 11 para 15 o número de vereadores que aumentará em mais de 35% os gastos do Legislativo ourinhense, o que com certeza fará mais falta aos cofres públicos, na Saúde e aos próprios recapeamentos e tapa buracos que tanto reclamam demagogicamente.

Daí, entendemos a necessidade absoluta de que nas eleições que temos à frente se coloque uma pedra sobre o descaso, desrespeito e traição com que a população de Ourinhos foi vítima, escolhendo desta vez, de forma consciente, representantes parlamentares que realmente nos representem, que trabalhem pela cidade e pelo povo, não por seus próprios interesses, como aconteceu nos últimos anos.

Prova disso tudo é a Câmara Municipal em suas sessões, pelo menos nas duas primeiras após o recesso parlamentar, quase que completamente vazia, senão por assessor parlamentar da PMO e contratados dos próprios vereadores, ou seja, sem ninguém do povo assistindo, um cemitério com um alto falante repetindo a mesma agonia politiqueira. Ninguém da imprensa ao menos fazendo número, apenas contratados dependentes dos vereadores. Uma lástima que indica o desinteresse do povo pelas barbaridades apresentadas na tribuna, um verdadeiro palanque político unilateral, de oposição ao governo sério que vem sendo desenvolvido, utilizado para a pretensa reeleição dos que nada fazem, dos que deveriam nos representar dignamente.

Temos tempo o bastante para escolher nossos verdadeiros representantes, com a ajuda de Deus e contra o Diabo ou os que o representam, muita gente boa e séria se candidatará, com boas intenções para com Ourinhos e seu povo, com vontade de trabalhar.