Saúde alerta sobre medidas de controle contra aparecimento do Caramujo Africano


Chuvas, umidade, calor e sujeiras contribuem para a sua proliferação

Época de fortes chuvas, umidade, calor excessivo e sujeira são fatores que contribuem para o aparecimento do Caramujo Africano (Achatina Fulica). Em decorrência disso, a Prefeitura de Ourinhos, por meio da Secretaria Municipal de Saúde alerta a população sobre as medidas a serem tomadas com a sua proliferação.

O caramujo tem hábitos noturnos, sai para se alimentar no final da tarde e a noite e durante o dia costuma ficar escondido nas sombras, como: folhas, plantas, mato, lixo, troncos podres e entulho. Daí a importância de manter os quintais, terrenos, estabelecimentos comerciais, empresas e escolas sempre limpos.

Muita gente não sabe, mas a responsabilidade de remoção dos caramujos é dos próprios proprietários e dos residentes nos imóveis ou dos responsáveis pelo gerenciamento dos demais estabelecimentos. Para coletá-los os adultos devem proteger as mãos com sacos plásticos, luvas de borracha ou ainda utilizar pás. Após efetuar a coleta, os caramujos deverão ser esmagados e colocados dentro de dois sacos plásticos para serem recolhidos pelo serviço de coleta de lixo.

Caso alguém apresente dúvidas sobre os procedimentos de catação manual nos quintais dos imóveis, basta entrar em contato com o Núcleo de Controle de Vetores, através do tel: 3326-9323 e solicitar orientações ou uma visita ao imóvel.

Havendo grande população de caramujos em terrenos baldios, o munícipe deverá comunicar o fato à Secretaria Municipal de Serviços Urbanos para que o proprietário do imóvel seja localizado e realize a limpeza.

Recomendações gerais:

Não utilize os caramujos como alimento e como isca para pescar;
Não crie estes caramujos (há legislação proibindo);
Não deixe que crianças brinquem com os caramujos;
Não jogue os caramujos vivos no lixo ou terrenos baldios;
Mantenha o quintal e terrenos de sua propriedade em boas condições de limpeza, retirando matos, entulhos, vasilhames velhos, madeiras, galhos e troncos podres e fezes dos animais domésticos, evitando assim a criação e infestações por diversas pragas urbanas: caramujos africanos, mosquitos Aedes aegypti, moscas, baratas, escorpiões e ratos;
Desinfete, sempre,  verduras, legumes e frutas em uma solução de água clorada (1 colher de sopa de água sanitária em 1 litro de água) deixando-as submersas por 30 minutos.
Lave as mãos antes das refeições;

Como identificar o caramujo gigante

1- Identifique se o caramujo em questão é mesmo o caramujo-gigante africano Achatina fulica, para não colocar em risco os caramujos nativos (existem espécies brasileiras que podem ser confundidas). Observe as fotos abaixo:


2- Observe que o caramujo africano apresenta as bordas da concha afiadas e cortantes, enquanto que o nativo apresenta bordas arredondadas.

 Caramujo africano: borda afiada


Próxima
« Prev Post
Anterior
Next Post »