Língua da Sogra: Tá vendo, tá vendo, enche a barriga da cobra ...


Quem dá di comê pra cobra um dia morre picado. Esse ditado a sogra Marikota conhece muito bem, mas pelo jeito o povo que aconselha a MUIÉ não. Eles tem o coração mole e ficaru comovidos com o chorinho fingido da cobrinha no final do ano passado.

É isso memo pessoal. A cobrinha mais sem vergoinha que tem em Corvorinhos chegô até chorá pra ter um peruzinho de Natal. Chorô memo, caiu até lágrima do zoinho dela. Quem falô isso foi um dos homi di confiança da MUIÉ que tava lá no dia.

Mas era tudo fingimento. Porque depois que passou o Natal e a escorregadia já tava de barriga cheia começô di novo a destilá veneno pra tudo quanto é lado. Eita bichinho farso.

TTTTTTzzzzzzzzzziiiiiii !

Quando a cobra tá quase morrendo foram lá e deram mais um poquinho de comida pra ela sobrevivê e nem bem ela encheu a barriguinha já chacoalhou o rabinho e voltou a dar seus botes.

Tomaru! Tão contenti agora!

É bom pra aprendê, pois como já disse a sogra: Quem dá di comê pra cobra um dia morre picado.

E isso não é um bom negócio!

Num é mesmo!

Corvorinhos é uma cidade fictícia, qualquer semelhança com a realidade é mera coincidência. Entendeu abestado?


Próxima
« Prev Post
Anterior
Next Post »