Prefeitos da região se arrependem de decisão precipitada e cancelam desativação do SAMU

Desde o início da polêmica, Ourinhos foi a única cidade que não abriu mão do serviço
Depois da repercussão gerada pela decisão das prefeituras da região de encerrarem os serviços do SAMU(Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) Regional, onde apenas Ourinhos manteve o atendimento, os prefeitos das cidades integrantes da UMMES (União dos Municípios da Média Sorocabana) se arrependeram decisão precipitada.

Alegando falta de recursos os chefes dos executivos haviam decido interromper o serviço a partir do dia 1º de dezembro, prejudicando milhares de cidadãos. Contudo, em nova decisão, após reunião realizada na última sexta-feira (06), mesmo com os repasses dos governos estadual e federal atrasados, os alcaides acharam por bem retroagirem a decisão inicial e mantiveram o serviço, efetuando o pagamento do SAMU em dia. Cidades que mantém base do serviço pagam R$ 1,30 por habitante, as demais R$ 1,00. Os avisos prévios dos funcionários também foram cancelados.

Bernardino de Campos, Canitar, Chavantes, Espírito Santo do Turvo, Ipaussu, Óleo, Ribeirão do Sul, Salto Grande, Santa Cruz do Rio Pardo, São Pedro do Turvo e Timburi continuarão com o SAMU.

Desde o início da polêmica, Ourinhos, maior cidade da região, demonstrou priorizar a saúde de sua população e por determinação de sua prefeita, manteve o atendimento do SAMU, custeando despesas operacionais de um montante que supera R$ 100 mil mensais.


Próxima
« Prev Post
Anterior
Next Post »