Língua da Sogra: Churrasquinho bão demais, semana que vem vai sê mió ainda

A sogra Marikota também participou da churrascada que o pessoal do movimento "Por uma Corvorinhos Melhor" promoveu esta semana na cidade. A véia entrô umas catorze veiz na fila, encheu a barriga e até levô lanchinho pro netinho.

"Ué, a senhora tá na fila di novo?", perguntô um dos voluntários que estavam servindo o povo. Mas a sogra disfarçô, disfarçô e acabô levando mais uma carninha. Lá fora, não tinha miséria, lá fora o povo tinha veiz, mas lá dentro...

Pouco antes disso, ainda tava dia e a véia viu os carro dos assessô e dos veriadô ocupano o lugar que era pra ser da churrasquera. Nunca fizeru isso, nunca estacionaru carro na rua. Pra que que serve o puxadinho que fizeru esses tempu lá então? Será que foi para num colocarem a churrasqueira na porta deles? Se foi, o povo deu um jeitinho e encaixou a bichinha em uma das vagas e começou a festa. Linguiça, carne, pão e guaraná não faltaru.

O que a sogra não gostô mesmo foi a atitudi dos apressadinho dos veriadô. Nem bem a véia sentô na poltrona a sessão já tinha acabadu. Alegria di pobre dura pouco. Disseru pra ela que a fumaça do churrasco atiçô a fomi dos menino e eles foram embora jantá, nem esperaru batê o sinal do recreio. Os homi di preto que também tavam lá não gostaram nadinha do "perdido" que os engravatadu deram no povo.

Mas num tem problema não, semana que vem tem mais. O povo tomô gosto pela coisa. Churrasquinho di segunda-feira nunca foi tão disputado. Tão até dizendo que vai tê atração diferente semana que vem. Parece que vão trazê dupla sertaneja, pula-pula e piscina de bolinha. E até sorteá umas panela de pressão. Tá todo mundo convidado, só os veriadô qui não.

Corvorinhos é uma cidade fictícia, qualquer semelhança com a realidade é mera coincidência. Entendeu abestado?


Próxima
« Prev Post
Anterior
Next Post »